sexta-feira, 19 de abril de 2013

A preguiça...

 
...tem-me dado para escrever pouco por aqui. Perdida noutras andanças, vou lendo jornais que dizem sempre o mesmo sobre a alternativa ao desgoverno, e que segundo eles (que mais não fazem do que o jogo dos que nos tramam!) nos querem fazer crer é nula, mais as desgraças trazidas pela troika, mais a miséria criada pela pandilha que quanto mais nos rouba, menos tem, apesar de todos os avisos de que mais do mesmo remédio mata o doente. Assim, ficámos hoje então a saber que a dívida pública aumenta 131 milhões de euros por mês, coisa pouca (nem sei quantas notas são, nem o espaço que ocupam!), sendo que as intelejumências não conseguem discernir que têm de criar medidas de crescimento e apoio à economia para que o país cresça. Começaram ontem titubeantemente a falar nisso, mas não sei se saberão como fazê-lo. Ah! e vieram hoje com a treta de que me estão a pagar o subsídio de férias em duodécimos e que o de Natal virá em Novembro, o que por acaso não é o que diz a minha folha de "recebimento" que se refere ao duodécimo do subs. de  Natal que eu não vejo, claro, porque antes de mo pagarem já tinham arranjado maneira de mo roubarem, a esse e mais!... E até Novembro, os aldrabões ainda vão arranjar maneira de não pagarem nada a ninguém, embora a melhor maneira de não pagarem fosse levarem sumiço. Consensos? só mesmo com o "partido" da troika, porque com os restantes partidos e com o povo não conseguem.
A propósito da oposição, não consigo deixar de linkar a fina ironia que Luciano Alvarez nos transmite através da sua crónica no jornal "Público". Tal e qual!....

4 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Trago preocupações de várias espécies e ler o jornal não me ajuda nada!
Quanto ao desgoverno continuo a não entender como é que foi possível uma conjugação tão grande de gente incompetente que se dizia competente e nos afunda diariamente!

Abraço

mlu disse...

O problema do desgoverno é, precisamente, o contrário do da preguiça: em vez de, por causa dela, não fazerem mais nenhum pecado mortal, por causa da preguiça de raciocinarem (ou será incapacidade de?) fazem todos os outros e sobra para mais alguns que se queiram inventar! Irra, que são burros!

Bjinhos.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu já sabia que Natal é quando um homem quiser, mas este governo ensinou-me que roubar é quando um qualquer sacana lhe aprouver.
Nisso, essa malta não é nada preguiçosa!

maria mar disse...

E,pelos vistos também têm pouca vergonha. São insultados por todo o lado (redes sociais, blogosfera...) e não se ralam, desde que o tacho se mantenha....