segunda-feira, 3 de junho de 2013

Caridadezinha....

Embora a srª Jonet tenha afirmado em Dezembro de 2012 ao jornal "i" que:
 "Sou mais adepta da caridade do que da solidariedade social".
Claro que sim, tal como o desgoverno!!!...
 
Fui uma das pessoas que contribuíram para este circo de caridadezinha que se realiza com uma periodicidade cada vez mais curta neste país. Como se a caridade acontecesse por todas as boas razões que levam os cidadãos a serem caritativos. Como se o facto de aumentar a cada dia o número de pessoas a necessitarem de ajuda alimentar (e não só!), fosse uma dádiva que deve ser consolidada através dos donativos e boa vontade dos cidadãos. Foi a maior "colheita" de sempre, segundo rezam os media, porque todos sabemos que a maioria de nós não está bem. Por outro lado, e daí a minha "danação", foi também uma das maiores colheitas para os donos das grandes superfícies, esses sim! gente "prestativa", que "gentilmente" tem o cuidado de montar exposições de produtos específicos para o dia, embora sem custos inferiores. É também um dia lucrativo para o Estado que arrecada o imposto directo que todos pagamos - IVA. Assim, aquilo que para uns é caridadezinha, para outros (sempre os mesmos, os protegidos!) é mais uma oportunidade de aumentarem largamente os seus proventos, sem qualquer retorno social - ainda hoje estive mais de 15m numa fila de "caixa expresso" de uma dessas superfícies, à espera de pagar. Mais caixas abertas? Bah!...isso custa-lhes dinheiro!...(Jurei para comigo que para a próxima ficam lá as compras e vem a pág. de cópia do livro amarelo).
Cada dia em que se abre mais uma porta para alimentar gente necessitada, esta é publicitada como se de uma vitória se tratasse, a caridadezinha é encarada como uma dádiva, em vez  uma regressão nos direitos ao trabalho, ao subsídio de desemprego, à pensão de reforma,  ao salário a que se teria direito se não se fosse escravizado, enfim, aos cortes nos direitos e ao aumento da humilhação. Por trás dos panos, são as políticas da bandidagem que nos desgoverna a promover esta caridadezinha "abençoada" que tanto nos comove!!!...

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Já me insurgi várias vezes contra a caridadezinha lá no CR. Também não acredito nela e parece-me mesmo humilhante.
Apesar de fazer voluntariado e distribuir comida aos sem abrigo duas vezes por semana, estou de acordo com a Helena Roseta quando ela diz que é preciso acabar com essa prática, que comparou de forma cruel ( mas verdadeira) com dar de comer aos pombos.
Abracinho

mlu disse...

Pois, pois, é ver o ministro da solidariedade a deitar foguetes de cada vez que abre uma fila para distribuição de sopa aos pobres, em vez de guardar o fogo de artifício para festejar o fim de tais filas, que humilham e fazem ainda mais infelizes os que precisam delas! Acho que até o nome do ministério está errado porque, solidariedade, eles não sabem o que é!

Bjinhos.