quarta-feira, 6 de agosto de 2014

O traidor e a PACC

imagem "roubada" do blogue nela identificado
A PACC - Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades foi realizada por 10 220 professores. Uma prova aplicada indiscriminadamente a professores de todos os ramos de ensino, isto é, educadores de infância, passando pelos de Educação Musical e todas as outras áreas, na tentativa de criar professores clonados a nível de conhecimentos e capacidades. Hoje, mais uma vez, a imprensa serviu de canal de comunicação do desgoverno e veio dizer que, de entre os profs que efectuaram a prova, 1 473 reprovaram e 62,8% deram erros, sendo que esses erros são, maioritariamente, os que não se enquadram no "acordês", mas isso não foi esclarecido, assim o impacto da estupidez e incompetência dos professores é maior. Mas os restantes felizardos, os 8 747 aprovados, também não terão melhor sorte que os reprovados, graças a esses enormes aglomerados de alunos por sala, ao corte nos apoios educativos, à extinção dos pares pedagógicos e, sobretudo, à sugestão implícita em todos os actos neoliberais deste desgoverno de que o privado, neste caso o ensino, é que é bom (vêem-se os colégios do grupo GPS, subsidiados pelo Estado - todos nós - a serem investigados por crimes de corrupção e branqueamento de capitais....). Aí os profs aí são mais competentes, formados em universidades de topo, não precisam de PACC, logo, encaminhem-se os alunos para o privado. Quem puder!...quem não puder deixe-os no ensino público o que não é boa ideia!.... :(
Para finalizar, deixo por aqui o que já escrevi noutro lado:
Solidária com todos os docentes: os que não se submeteram à PACC, os que o fizeram, os que por insondáveis desígnios vigiaram quem a fez, e ainda com os que foram violentados pela polícia.
A Crato o que é de Crato: o maior traidor à classe que alguma vez passou pelo MEC. Um traidor incompetente, porque permitiu que a toda poderosa estrutura do MEC introduzisse na prova um texto de José Cardoso Pires em "acordês"!... Dentro em breve teremos Camões, Eça, Pessoa e restantes escritores portugueses de outros séculos traduzidos nessa miscelânea. Onde chega a bestialidade!!!!....



Sem comentários: