terça-feira, 6 de novembro de 2012

O novo franchising...

 
Segundo notícias ultimamente avançadas pelos media, o ministro Nuno Crato continua muito empenhado em importar o sistema educativo da Alemanha no que respeita ao encaminhamento de alunos em tenra idade para vias profissionais /vocacionais, método que os pedagogos alemães contestam, pela iliteracia que acarreta. Tendo nós por cá também um elevado índice de iliteracia e abandono escolar, a descriminação de alunos em tenra idade levando-os a optar por vias profissionais, irá certamente agravar estes factores . É bom que os pais estejam atentos, que não permitam a exclusão dos seus filhos de turmas consideradas "normais" para serem integrados em turmas de via profissional. Pasmo como a até agora obrigatória inclusão de alunos com NEEs (Necessidades Educativas Especiais) passou a ser uma treta, promovendo-se afincadamente a palavra exclusão como futuro lógico para esses alunos, assim como para todos os outros que, por motivos do foro emocional ou sócio-educativo que muitas vezes lhes são exógenos e que geraram duas retenções no seu percurso educativo até ao 6º ano de escolaridade. Nuno Crato assinou hoje na Alemanha o "franshising" para importar o modelo de ensino profissional alemão, que irá permitir que na mesma escola cohabitem turmas de meninos "espertos" e turmas de meninos "burrinhos", sendo que para estes últimos estarão reservados rumos com menos oportunidades. Quanto menor a cultura de um povo, melhor se manobra e controla. A igualdade de oportunidades para todos ficará assim  seriamente comprometida logo a partir da infãncia. São estas as práticas de um ministro que em tempos teve um cérebro que agora subverteu, passando a comportar-se como um molusco, daqueles que deixam um rasto de ranhoca por onde passam.

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A próxima medida vai ser pôr os alunos a cantar o hino alemão.
Beijo