domingo, 17 de fevereiro de 2013

As relvas...

...são uma verdadeira delícia para os coelhos, de tal forma que se os coelhos tiverem possibilidade de escolha, optam por viver no meio delas, nem que sejam daninhas. Aí constroem as suas luras e se tornam parasitas dessa comida fresca. Por outro lado, as relvas aproveitam o "tasquinhanço" para se irem renovando, criando novos rebentos, novos elos, agarrarem-se ao que podem. Estão, assim, dependentes. Os jovens andam danados com as relvas e com os coelhos, preferem a areia da praia e outras carnes, como tal, hoje, quando apanharam relvas a jeito, chamaram-lhe o que lhes apeteceu e, “Governo, gatuno, assim não há futuro.” etc, etc. Na sequência de propagação das benfeitorias do relvas (para além de alimentar coelhos!), informou hoje na Comissão Nacional da Juventude  que "Estado vai facilitar o regresso dos jovens à agricultura". Como? Pois, relvas não explicou e o Ivo Santos, presidente da CNJ, também não sabe como irá decorrer este regresso. O relvas fugiu ao assunto falando no "programa impulso jovem" que os jovens também não sabem o que é e para que serve, mas que está aí para relançar sabe-se lá o quê, como e quando.
“Não nos devemos resignar a um país desertificado e envelhecido. Muitos jovens querem regressar à agricultura e o Estado pode e vai ter um papel para facilitar esse regresso”-disse. Muitos jovens para a agricultura? realmente é esse o curso que a maioria emigrada tirou?!... "país desertificado e envelhecido???...mas não foi este mesmo governo de relvas (através de Alexandre Mestre- Sec. de Est. do Desporto e Juventude) que veio avisar os jovens que "se estamos no desemprego, temos de sair da zona de conforto e ir para além das nossas fronteiras"???...(para mim é mais "zona de conflito"!!!... ) Nesta linha, quem tiver memória curta, até já esqueceu que foi o actual "fantasma de Belém"que  recebeu em tempos milhares de milhões de Bruxelas e os utilizou para acabar com a agora abençoada agricultura, a pesca, enterrando-os em alcatrão e betão, sendo que estes produtos nem se vendem nem trazem riqueza senão àqueles que nesse tempo, à pála dos amigalhaços e compadres fizeram negociatas do arco da velha.  É bom que, cada vez que relvas, coelhos, portas, gaspares, franquelins e arlequins desmiolados, gatunos e oportunistas saírem à rua, se deparem com a raiva do povo que lhes sustenta as mordomias.
PS: Continuo a gostar de passear em cima da relva, mas há relvas que nem me atrevo a pisar com medo sujar os pés ou de me envenenar!....

3 comentários:

mlu disse...

Demagogos idiotas é o que eles são! Se não se acautelam as enxadas ainda vão servir p´ra outras coisas que não o fim para que foram fabricadas! Imbecis!


Bjinhos.

maria mar disse...

Ontem, no facebook, já lhe ensinavam as outras possíveis serventias das enxadas, foices, ancinhos, etc. coisa e tal!!!.....
;)
Bjinhos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Pewrcebo agora melhor a recomendação dos deputados da maioria, para o regresso da TV Rural